sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Santa BERNADETTE de Lourdes - Religiosa e Vidente de Nossa Senhora.



Santa BERNADETTE SOUBIROUS (vidente de Nossa Senhora em LOURDES a partir de 11 de Fevereiro de 1858) foi uma religiosa francesa. 

* (O seu Dia Litúrgico é a 16 de Abril, mas em França é a 18 de Fevereiro) *

                             É a Padroeira dos pessoas DOENTES.

BIOGRAFIA:

Marie-Bernard Soubirous ou Maria Bernada Sobeirons em occitano (Lourdes, 7 de Janeiro de 1844 — Nevers, 16 de Abril de 1879) foi uma religiosa francesa canonizada pela Igreja Católica. (Beatificada em 12 de Junho de 1925 e Canonizada em 8 de Dezembro de 1933 sempre pelo Papa PIO XI).
Filha de um pobre moleiro chamado Francisco Soubirous e de Luísa Castèrot, Bernadette foi a primeira de nove filhos. Na sua infância trabalhou como pastora e criada doméstica. O pai esteve preso sob a acusação de furto de farinha, contudo foi absolvido.

Durante os dez primeiros anos viveu no moinho de Boly (onde nasceu). Depois, passando por graves dificuldades financeiras, a família muda-se para Lourdes onde vive em condições de miséria, morando no prédio da antiga cadeia municipal que fora abandonado pouco tempo antes. Apesar de parecer insalubre, moravam no andar superior do edifício, o do primo de Francisco Soubirous, pai de Bernadette, junto à sua mulher e seus filhos. Era um buraco infecto e sombrio, a divisão inabitável da antiga prisão abandonada por causa da insalubridade.

Desde pequena, Bernadette teve a saúde debilitada devido à extrema pobreza de sua habitação. Nos primeiros anos de vida foi acometida pelo cólera, o que a deixou extremamente enfraquecida. Em seguida, por causa também do clima frio no inverno, adquiriu asma aos dez anos. Tinha dificuldades de aprendizagem e na catequese, o que fez com que a sua primeira comunhão fosse atrasada. Não pôde frequentar a escola e até os quatorze anos manteve-se absolutamente analfabeta.

Em Lourdes, uma cidade com população em torno de quatro mil habitantes, no dia 11 de fevereiro de 1858, Bernadete disse ter visto uma aparição de Nossa Senhora numa gruta denominada "massabielle", o que significa, no dialeto birgudão local - "pedra velha" ou "rocha velha" - junto à margem do rio Gave, aparição que de outra vez se lhe apresentou como sendo a "Imaculada Conceição", segundo o seu relato.

Enquanto o assunto era submetido ao exame da hierarquia eclesiástica que se comportava com céptica prudência, curas cientificamente inexplicáveis foram verificadas na gruta de "massabielle". Em 25 de fevereiro de 1858, na presença de uma multidão, por ocasião de uma das suas visões, surgiu sob as mãos de Bernadette uma fonte que jorra água até os dias de hoje no volume de cinco mil litros por dia.

De acordo com o pároco da cidade, padre Dominique, que bem a conhecia, era impossível que Bernadette soubesse ou pudesse ter o conhecimento do que significava o dogma da "Imaculada Conceição", então recentemente promulgado pelo Papa. Afirmou ter tido dezoito visões da Virgem Maria no mesmo local entre 11 de fevereiro e 16 de julho de 1858.

[Afirmou e defendeu a autenticidade das aparições com um denodo e uma firmeza incomuns para uma adolescente da sua idade com o seu temperamento humilde e obediente, nível de instrução e nível sócio-econômico, contra a opinião geral de todos na localidade: sua família, o clero e autoridades públicas. Pelas autoridades civis foi submetida a métodos de interrogatórios, constrangimentos e intimidações que seriam inadmissíveis nos dias de hoje. Não obstante, nunca vacilou em afirmar com toda a convicção a autenticidade das aparições, o que fez até a sua morte.]

(P.S. - Estou a lembrar-me que, em 1917, na Cova da Iria - Fátima - PORTUGAL, 3 pequenos Pastorinhos, Jacinta, Francisco e Lúcia, também foram presos e sujeitos a interrogatórios intimidatórios em OURÉM, para desmentirem as Aparições de Nossa Senhora, durante 6 meses seguidos: Maio a Outubro)

Para fugir à curiosidade geral, Bernadette refugiou-se como "pensionista indigente" no hospital das Irmãs da Caridade de Nevers em Lourdes (1860). Ali recebe instrução e, em 1861, faz de próprio punho o primeiro relato escrito das aparições. No dia 18 de janeiro de 1862, Monsenhor Bertrand Sévère Laurence, Bispo de Tarbes, reconhece pública e oficialmente a realidade do facto das aparições.

Em julho de 1866 Bernadette inicia o seu noviciado no convento de Saint-Gildard e, em 30 de outubro de 1867, faz a profissão de religiosa da Congregação das Irmãs da Caridade de Nevers. Dedicou-se à enfermagem até ser imobilizada, em 1878, pela doença que lhe causou a morte.

Uma imensa multidão assistiu ao seu funeral no dia 19 de abril de 1879 que foi necessário ser adiado por causa da grande afluência de gente, totalmente inesperada. Em 20 de agosto de 1908, Monsenhor Gauthey, bispo de Nevers, constitui um tribunal eclesiástico para investigar "o caso Bernadette Soubirous".

Após quase 150 anos, após a sua morte, não há o mínimo sinal de putrefacção, continuando o seu corpo incorrupto.


(Fonte: Wikipédia/Joseph1).

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

S. JOÃO BAPTISTA - Primo de JESUS (Aniversário da sua DECAPITAÇÃO).




São João Baptista - O Precursor, Profecta e Mártir

Personagem bíblica e Santo do Cristianismo, S. João Baptista terá nascido na Judeia, no ano 7 a.C.(há quem diga ano 2 a.C., pois nasceu pouco tempo antes do MESSIAS), e morrido em 30 d.C (há que diga 26, 27, 29...(?).). Era filho adoptivo de Zacarias, um sacerdote judaico, e de Isabel (que, dada a sua idade, concebeu pelo Espírito Santo, tal como Maria de Nazaré); Isabel era prima de Maria de Nazaré (a VIRGEM MARIA).

O nome JOÃO significa "Deus é propício".

Introduziu o baptismo (pela água), como prática na conversão de gentios, cerimónia que mais tarde seria adoptada pelo cristianismo (não pela água, mas pelo Espírito Santo).
Surge como um precursor de Jesus de Nazaré (O Nazareno) ou seja, Jesus Cristo, que veio a baptizar, no rio Jordão, e a reconhecer como o verdadeiro Messias.  

Partiu para o deserto para pregar.

Censurou o Governador Herodes Antipas por ter cometido adultério com a sua cunhada, Herodíade. Foi, por isto, preso e, mais tarde (meses depois), foi "decapitado", a pedido de Salomé, sobrinha do rei e filha de Herodíade.

Os discípulos de João trataram do sepultamento do seu corpo e de anunciar a sua morte ao seu primo Jesus.

COINCIDÊNCIAS:

1 - JESUS e JOÃO foram ambos concebidos pelo Divino Espírito Santo, através de DEUS-PAI (o CRIADOR), com um intervalo de 5 ou 6 meses.
2 -  Eram primos e meios-irmãos, dado que só as mães eram biológicas.
3 - Nasceram no ano 7 a.C. (a data mais provável).
4 - Pregadores, João pregava aos gentios e Jesus aos doutores.
5 - Foram ambos martirizados, um deixando que isso acontecesse para salvação da humanidade, e outro decapitado por capricho, e a mando dum governador déspota.
6 - Terão morrido com a mesma idade? 33 anos? É que o nascimento de Jesus é tido entre o ano 7 e o ano 2 a.C. e a sua morte no ano 29 d.C., a mesma de João. (Fica a dúvida). Há que diga que eles morreram aos 37 anos?!....
  
JOÃO, é o único santo cujo nascimento e martírio, em 24 de Junho e em 29 de Agosto respectivamente, são evocados em duas solenidades pelos cristãos.

Também JESUS CRISTO e sua mãe a VIRGEM MARIA, são evocados em duas solenidades. (Mais ninguém o é).

O Dia Litúrgico da sua MORTE é HOJE.

Fontes: (Infopédia, Wikipédia, blogs, Joseph1)

terça-feira, 27 de agosto de 2013

As Minhas Músicas Favoritas - Nr .......





EMANUEL - I Love Kuduro House - feat LARA - 2013

 (Faça full-screen)



sábado, 24 de agosto de 2013

S. BARTOLOMEU - Apóstolo dos 12, e MÁRTIR.




São Bartolomeu, foi um dos 12 apóstolos de Jesus Cristo.
 
Seu nome vem do aramaico, com uma referência patronímica: Bart Tolomay - filho de Tolmay.
Há Historiadores que também mantêm uma referência patronímica, mas dá outro significado para o nome: Bart Ptolomeu - Filho de Ptolomeu. Esta última hipótese não é inverossímil, visto que Ptolomeu (suposto pai de Bartolomeu) possuía um prenome grego, e a cultura grega tinha uma grande influência na Judéia da época.

Desconhece-se a data do seu nascimento.

Nenhuma narração bíblica lhe enfoca especialmente e seu nome consta apenas nas listas dos doze. No entanto, segundo a tradição, ele é o Natanael de que falam outras passagens, e isso fica evidente através da comparação entre os quatro Evangelhos: [São João Evangelista chamou-lhe Natanael (dom de Deus ou Deus deu), enquanto os restantes evangelistas (São Mateus, São Lucas e São Marcos) o designam por Bartolomeu – Bart-Tolomai, filho de Tolmai]. De acordo com a tradição cristã, terá sido o esposo nas bodas de Caná, em que Cristo realizou o seu primeiro milagre ao transformar a água em vinho.
Como narra a Bíblia, São Filipe comunicou a Natanael (São Bartolomeu) que havia encontrado o MESSIAS, e que esse provinha de Nazaré, ao que Natanael responde dura e preconceituosamente: "De Nazaré pode vir alguma coisa boa?" (Jo 1, 46a). Essa observação é importante indicador das expectativas judaicais quanto à vinda do Messias, então tidas.
No seu primeiro encontro com JESUS, recebe um elogio: "Aqui está um verdadeiro Israelita, em quem não há fingimento" (Jo 1, 47), ao qual o apóstolo responde: "Como me conheces?". Jesus responde de forma que não podemos compreender claramente sómente através das Escrituras: "Antes que Filipe te chamasse, eu te vi quando estavas sob a figueira". Com certeza se tratava de um momento crítico e decisivo na vida de Natanael. Após essa revelação de Jesus, Natanael faz a sua adesão ao Mestre com a seguinte profissão de fé: "Rabi, tu és o filho de Deus, tu és o Rei de Israel".
Acompanha Jesus até à Sua morte, participando e assistindo às Suas pregações, milagres e outros episódios da Sua vida. Estava presente à beira do mar de Tiberíades quando Jesus, após a Sua Ressurreição, apareceu a alguns dos seus apóstolos.

Segundo fontes históricas, São Bartolomeu teria pregado o cristianismo até na Índia. Outra tradição diz que o apóstolo morreu por esfolamento, no dia 24 de Agosto do Ano 51 d.C., em Albanópolis, actual Derbent, na província russa de Daguestão, junto ao Cáucaso, a mando do governador, tanto que na Capela Sistina ele é pintado segurando a própria pele na mão esquerda e na outra o instrumento de seu suplício, um alfange. Segundo a Igreja Católica, mais tarde as suas relíquias (sobretudo os ossos encontrados intactos) foram levadas para a Europa e jazem em Roma, na Igreja a ele dedicada.

O Papa Bento XVI na audiência do dia 4 de Outubro de 2006 disse estas palavras que concluem o ensinamento da vida de São Bartolomeu: "Para concluir, podemos dizer que a figura de São Bartolomeu, mesmo sendo escassas as informações acerca dele, permanece contudo diante de nós para nos dizer que a adesão a Jesus pode ser vivida e testemunhada também sem cumprir obras sensacionais. Extraordinário é e permanece o próprio Jesus, ao qual cada um de nós está chamado a consagrar a própria vida e a própria morte".

É Venerado por toda a Cristandade.

É o Padroeiro dos Padeiros e Alfaiates, de todos aqueles que trabalham com peles, entre outros. 

O seu Dia Litúrgico é HOJE (24 de Agosto).

Fontes:(Wikipédia, Sarrabal.blogs.,Joseph1)

domingo, 18 de agosto de 2013

Dr. SOUSA MARTINS - Médico dos Pobres e "Santo" (?)...


Dr. SOUSA MARTINS - Médico dos pobres e "santo" (?)...





Comemora-se hoje o dia da sua morte.

*José Tomás de Sousa Martins (Alhandra, 7 de Março de 1843 — Alhandra, 18 de Agosto de 1897) foi um médico e professor catedrático da Escola Médico-Cirúrgica de Lisboa, antecessora da Faculdade de Medicina de Lisboa. Formado em Farmácia e Medicina, trabalhou intensa e, na maioria dos casos, gratuitamente, sobretudo no combate à tuberculose. Orador brilhante, dotado de humor e inteligência, homem de actividade inesgotável e praticante incansável da caridade junto aos mais desfavorecidos, exerceu uma forte influência sobre os colegas de profissão, os alunos e os pacientes que tratou. Esta influência metamorfoseou-se e perpetuou-se no tempo, tendo a figura de Sousa Martins assumido contornos de "santo laico", num culto actual, bem visível nos ex-votos colocados em torno da sua estátua no Campo de Santana, em Lisboa, no cemitério de Alhandra, onde está sepultado, e no Sanatório da Guarda.
***
A construção do sanatório da Guarda, ficou a dever-se à Assistência Nacional aos Tuberculosos, a ANT, instituição que sob a presidência da rainha D. Amélia de Orleães conseguiu reunir os fundos necessários e materializar a construção e equipamento. A inauguração do sanatório, o primeiro a ser construído pela ANT e o terceiro de Portugal, ocorreu a 18 de Maio de 1907, quase uma década após o falecimento de Sousa Martins. A inauguração incluiu uma homenagem àquele pioneiro da luta contra a tuberculose, cuja acção e dinamismo a rainha já evocara 1899 em intervenção pública integrada numa campanha de profilaxia da tuberculose.

Apesar do tempo decorrido após o falecimento de Sousa Martins, em sua homenagem, a nova instituição foi denominada Sanatório Dr. Sousa Martins e por ela passaram muitos milhares de doentes ao longo de mais de meio século de funcionamento. A sua importante acção deixou o nome ligado à zona serrana com tal perenidade que o principal hospital da cidade da Guarda o mantém Sousa Martins como patrono.
***


 Estátua no Campo de Santana em Lisboa

Adoeceu quando se encontrava em Veneza, regressando a Lisboa muito debilitado. Diagnosticada tuberculose, partiu para a Serra da Estrela à procura de alívio. Aparentemente convalescendo, recolheu-se a Alhandra, onde se instalou numa quinta, propriedade de amigos, tentando recuperar.

A doença agravou-se e aos 54 anos, tuberculoso terminal e sofrendo de lesão cardíaca, Sousa Martins cometeu suicídio, com uma injecção de morfina. Pouco antes, havia confidenciado a um amigo: "A morte não é mais forte do que eu" e "Um médico ameaçado de morte por duas doenças, ambas fatais, deve eliminar-se por si mesmo".

Na mensagem que enviou ao saber da morte de Sousa Martins, o rei D. Carlos I de Portugal afirmou: Ao deixar o mundo, chorou-o toda a terra que o conheceu. Foi uma perda irreparável, uma perda nacional, apagando-se com ele "a maior luz do meu reino".

Também sobre ele, António Egas Moniz, Prémio Nobel da Medicina, disse: Notável professor que deixou, atrás de si, um nome aureolado de prelector admirável, de clínico, de orador consagrado, sempre alerta nas justas da Sociedade das Ciências Médicas.

Por sua vez Guerra Junqueiro considerou-o Eminente homem que radiou amor, encanto, esperança, alegria e generosidade. Foi amigo, carinhoso e dedicado dos pobres e dos poetas. A sua mão guiou. O seu coração perdoou. A sua boca ensinou. Honrou a medicina portuguesa e todos os que nele procuraram cura para os seus males.
***
 Um pequeno monumento erguido dentro dos muros do antigo Sanatório da Guarda continua, diariamente, a receber "preces e agradecimentos" e, à semelhança do monumento lisboeta do Campo de Santana, está quase sempre emoldurado de flores e de ex-votos diversos.

Os adeptos do Espiritismo pretendem que ele tenha sido seguidor desta crença, embora não haja nenhuma prova que o confirme; muitos dos adeptos dessa crença atribuem-lhe curas milagrosas por intermédio das suas comunicações mediúnicas , como aliás fazem com outros não membros da sua crença, veja-se por exemplo o famoso Padre Miguel do Soito (Sabugal), que era um sacerdote católico.


ORAÇÃO

 Tudo me mete medo
Não sou capaz de arriscar
Mais do que vejo
À frente dos meus olhos.
Só passo a passo
Consigo avançar

E mesmo assim hesito
Em tudo quanto faço.
Dr. Sousa Martins
Diz-me como hei de proceder
E este medo perder
Para ser igual
A toda a gente feliz.
Ajuda-me Dr. Sousa Martins.


(Fonte: Wikipédia/joseph 1)

quarta-feira, 3 de julho de 2013

S. TOMÉ – Apóstolo dos 12, Mártir e Dídimo.

(em execução)

Hoje é dia de S. Tomé, o Crente, depois de ver...

sábado, 29 de junho de 2013

Ss. PEDRO e PAULO - Apóstolos e Mártires...


Ss. PEDRO e PAULO:

Hoje, 29 de Junho, é o dia litúrgico de ambos (pois foram mortos no mesmo dia e no mesmo ano).


S. PEDRO, Apóstolo dos 12 da ÚLTIMA CEIA e Mártir, filho dum homem chamado Jonah (João) e casado com Febronia, inicialmente chamado Simão, (Jesus chamava-o de Pedro), nasceu talvez no ano 1 a.C., em Betsaida(Síria), vivia em Cafarnaum com a mulher e o filho; morreu em Roma, no ano 67 d.C. com 67 anos(?). Foi o 1º. Bispo de Roma e o 1º PAPA da IGREJA CATÓLICA, da qual é o principal fundador, e foi quem deu a ordem aos restantes Apóstolos, para irem pelo Mundo afora e pregarem os ENSINAMENTOS de JESUS CRISTO. Há quem diga que Simão Pedro e seu irmão André terão sido discípulos de S. João Baptista (?). Simão e André eram "empresários" da pesca e tinham sua própria frota de barcos, em sociedade com Tiago, João e o pai destes Zebedeu. Foi crucificado de pernas para o ar, (a seu pedido), porque disse aos seus ASSASSINOS (que obedeciam a ordens do Imperador Romano NERO, um louco que foi nomeado Imperador aos 17 anos, que cometeu as maiores atrocidades contra mulheres e povo em geral, e que se suicidou, com um punhal, aos 31 anos, mas com a ajuda de um soldado) que não tinha dignidade suficiente para ser crucificado como o seu Senhor.

Nos evangelhos sinópticos, o nome de Pedro sempre encabeça a lista dos discípulos de Jesus, o que na interpretação da Igreja Católica Romana deixa transparecer um lugar de primazia sobre o Colégio Apostólico. 

Outro dado interessante era a estreita amizade entre Pedro e João Evangelista, facto atestado em todos os evangelhos, como por exemplo, na Última Ceia, quando pergunta ao Mestre, através do Discípulo amado (João), quem o haveria de trair ou quando ambos encontram o sepulcro de Cristo vazio no Domingo de Páscoa. Facto é que tal amizade perdurou até mesmo após a Ascensão de Jesus, como podemos constactar na cena da cura de um paralítico posto nas portas do Templo de Jerusalém.

MILAGRE: Segundo o relato em Lucas 5:1-11, no episódio conhecido como "Pesca milagrosa", Pedro teria conhecido Jesus quando este lhe pediu que utilizasse uma das suas barcas, de forma a poder pregar a uma multidão de gente que o queria ouvir. Pedro, que estava a lavar redes com Tiago e João, concedeu-lhe o lugar na barca, que foi afastada um pouco da margem.
No final da pregação, Jesus disse a Simão que fosse pescar de novo com as redes em águas mais profundas. Pedro disse-lhe que tentara em vão pescar durante toda a noite e nada conseguira mas, em atenção ao seu pedido, fá-lo-ia. O resultado foi uma pescaria de tal monta que as redes iam rebentando, sendo necessária a ajuda da barca dos seus dois sócios, que também quase se afundava puxando os peixes. Numa atitude de humildade e espanto Pedro prostrou-se perante Jesus e disse para que se afastasse dele, já que é um pecador. Jesus encorajou-o, então, a segui-lo, dizendo que o tornará "pescador de homens".


S. PAULO, Apóstolo dos Gentios e Mártir, ou Paulo de Tarso, são a mesma pessoa, tendo nascido no ano 5 d.C., em Tarso (Turquia). Consta que terá tido uma visão de Cristo e ficado cego, mas recuperou a visão 3 dias depois, e converteu-se do Judaísmo ao Cristianismo(*). É fundador, juntamente com Pedro, da Igreja de Roma. A seguir a Jesus foi o maior divulgador da Sua Palavra. Foi um dos maiores escritores do Novo Testamento, donde se destacam as suas cartas às várias comunidades existentes. Morreu aos 62 anos, executado em Roma, por ordem de NERO (Foi decapitado) no ano 67 d.C., no mesmo dia de S. PEDRO.

SAULO, seu nome inicial, também chamado de Apóstolo Paulo, Saulo de Tarso e São Paulo, foi um dos mais influentes escritores do cristianismo primitivo, cujas obras compõem parte significativa do Novo Testamento. Ficou conhecido como o APÓSTOLO DE CRISTO.

(*) - A conversão de Paulo mudou radicalmente o curso de sua vida. Com suas actividades missionárias e obras, Paulo acabou transformando as crenças religiosas e a filosofia de toda a região da bacia do Mediterrâneo. Sua liderança, influência e legado levaram à formação de comunidades dominadas por grupos gentios que adoravam o Deus de Israel, aderiam ao código moral judaico, mas que abandonaram o ritual e as obrigações alimentares da Lei Mosaica por causa dos ensinamentos de Paulo sobre a vida e obra de Jesus e seu "Novo Testamento", fundamentados na morte de Jesus e na sua ressurreição.

A Bíblia não relata a morte de Paulo.
Figuras muito diferentes pelo temperamento e pela cultura, viveram, contudo, sempre irmanados pela mesma fé e pelo mesmo amor a Cristo. S. Pedro, na sua maravilhosa profissão de fé, exclamava: «Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo». E, no seu amor pelo Mestre, dizia: «Senhor, Tu sabes que eu Te amo». S. Paulo, por seu lado, afirmava: «Eu sei em quem creio», ao mesmo tempo que exprimia assim o seu amor: «A minha vida é Cristo»!

Fontes:W.B.Jos/Wikipédia, Outros.